Nunca te deixes levar…

Infelizmente centenas de mães deixam-se levar por opiniões alheias o que faz com que muitos bebés desmamarem precocemente.

Acompanho muitas famílias no seu percurso de amamentação e durante este fim de semana, tive conhecimento de duas situações que podiam ter tido consequências graves nos percursos de amamentação destas mulheres.

A primeira situação surgiu de um acompanhamento que estou a realizar a uma mamã de primeira viagem que teve uma crise de vesícula e teve que ser internada para realizar mais exames. Esta mamã entrou logo em contacto comigo para me explicar o sucedido e percebi que estava destroçada pela informação que tinha acabado de receber. Iria fazer uma medicação, que tanto o médico como o enfermeiro que a estavam a acompanhar, referiram ser incompatível com a amamentação. Esta mãe estava a sair de uma relactação, ou seja, tinha acabado de retirar o leite artificial da sua rotina recentemente e sentiu que todo o esforço que tinha ido pelo “cano” abaixo. Sentiu uma grande desilusão, pois a sua filha ainda não tinha completado 2 meses de vida. A realidade é que nunca sabemos quando algo nos pode acontecer e ninguém está livre de que isso aconteça. Questionei a mãe sobre o nome do medicamento para que conseguir perceber se era ou não compatível com a amamentação. Após muita insistência minha, a mãe questionou o enfermeiro que a estava a acompanhar sobre o nome do medicamento e mesmo sem lhe dar essa informação continuava a insistir que não era compatível com a amamentação porque passava para o leite. Passado algum tempo, uma enfermeira veio dizer que podia extrair e dar o seu leite à bebé mas que não o hospital não tinha forma de guardar o leite. Como já percebeste esta situação é no mínimo caricata! A medicação passa de um momento para o outro a ser compatível  e o problema passa a ser outro! Se a mãe não tivesse insistido em saber mais informações sobre o medicamento, certamente que neste momento a sua bebé já estaria novamente a beber leite artificial. É triste surgir situações como esta em pleno século XXI. A mãe pediu uma geleira ao pai com um bloco de gelo e tudo o que extraia guardava até o pai poder novamente vir buscar. Quero que entendas que existem sempre alternativas se tu realmente quiseres isso!

A segunda situação não menos caricata deixou-me ainda mais sem palavras. Iniciei um acompanhamento a uma família de um prematuro de 36 semanas ainda no hospital. A mãe sentia-se completamente perdida e sem apoio ou qualquer incentivo à amamentação. O bebé estava a fazer suplemento especial para prematuros e nunca foi dito àquela mãe para iniciar a extração do seu leite para alimentar o seu bebé. O leite materno é fundamental para todos os bebés, mas é ainda mais importante para prematuros. Como nascem antes do tempo, o leite das mães destes bebés contém mais gorduras e imunoglobulinas do que o leite de mães de bebés de termo. Os bebés prematuros também têm tratos-gastrintestinais imaturos, o que pode provocar dificuldades na digestão e absorção de nutrientes, por isso, precisam de um alimento que seja fácil de processar pelos seus intestinos. Assim que a mãe pediu o meu acompanhamento foi, de imediato, incentivada a extrair. Falou com a enfermeira de serviço e pediu a bomba. A enfermeira trouxe a bomba a muito custo mas disse que o pediatra tinha receitado um LA próprio para prematuros dado pelo biberão que era aquele leite que o bebé tinha que fazer! A mãe ficou sem chão! Expliquei todas as vantagens do LM em prematuros e conseguiu extrair 20 ml do seu leite. Através da técnica Finger Feeding com apoio de uma seringa conseguiu alimentar o seu bebé. Se esta mãe continuasse no registo de LA para prematuros + biberão muito provavelmente a mãe não iria conseguir amamentar, um desejo que tanto tinha.

 

 

Aqui fica uma dica de ouro: Não acredites em tudo o que te dizem… Questiona sempre que tenhas dúvidas e pede uma segunda opinião… Isso pode mudar o rumo do teu percurso de amamentação para SEMPRE!

A tua CAM,

Ana Rita Monteiro

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

1 + 5 =